Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Correio da Educação

Correio da Educação

Autor: Rui Afonso
Ano da Edição: 2009
Editora: Texto Editores

Quando a França foi invadida pela Alemanha nazi, em Maio de 1940, o cônsul português em Bordéus, Aristides de Sousa Mendes, viu-se perante um doloroso dilema. Deveria cumprir as ordens de Salazar, negando vistos para Portugal aos refugiados que os solicitavam? Ou deveria seguir os imperativos da sua consciência, desobedecendo ao ditador e passando vistos que significavam a diferença entre a vida e a morte para milhares de pessoas, sobretudo judeus? O cônsul seguiu a sua consciência. (...) Quantas vidas salvou Sousa Mendes? Nunca o saberemos com precisão: decerto milhares. (...) Como disse um historiador, as acções de Sousa Mendes representaram talvez “a maior acção de salvamento por um único indivíduo durante o Holocausto.” (da contracapa)

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.